Recomenda-se:

Netscope

Thursday, October 9, 2014

Viscondessa Astor dixit: o coração de uma mulher é um oceano de segredos.


Devem ter reparado que roubei o título a uma frase do Titanic, o filme, mas foi de propósito: afinal a autora da frase acima, Nancy Astor, era cunhada do infeliz John Jacob Astor, o magnata que morreu a bordo do "navio inafundável".

 Nancy vinha de uma família americana mais notável pela beleza das suas filhas do que pela constância da sorte aos negócios: a sua irmã Irene casou com o artista Charles Dana Gibson, servindo de modelo para as famosas "Gibson Girls".
 Ainda assim, com engenho e trabalho, o pai conseguiu colocar-se bem o suficiente para que Nancy, após um casamento falhado, procurasse um futuro brilhante na sociedade do Reino Unido, à semelhança de tantas herdeiras americanas do tempo.

E isso não tardou a acontecer: a beldade sulista encantou Londres com o seu espírito picante, temperado por uma modéstia encantadora - combinação que a tornava popular junto dos cavalheiros, mas também lhe granjeava a admiração das senhoras mais respeitáveis.


 Quando numa festa uma dama inglesa se virou para ela e lhe perguntou "veio roubar os nossos maridos?", Nancy fez sucesso ao responder "se soubesse a trabalheira que foi livrar-me do meu!". No entanto, casaria em breve com Waldorf Astor, americano naturalizado inglês, tornando-se Lady Astor. Os dois eram almas gémeas: tinham a mesma moral, os mesmos gostos e até partilhavam o aniversário: 19 de Maio de 1879.

 Além de se ter celebrizado pelas festas esplendorosas que dava e por um percurso político algo controverso, Lady Astor é lembrada por ser uma senhora espirituosa. Várias frases suas, que revelavam uma auto confiança à prova de bala, ficaram para a posteridade. Quando era confrontada com a sua ascensão social graças ao marido, dizia coisas como "casei abaixo do meu nível. Todas as mulheres o fazem" ou "o aborrecimento de ter sucesso é ser maçada por pessoas que antes desdenhavam de mim".

 E claro, falou lindamente ao afirmar que as mulheres podem tagarelar muito, mas dificilmente entornam os feijões ou despejam o saco como os homens fazem. Uma mulher só revela um segredo se não se importar com ele. As mulheres tendem a ser discretas principalmente quando são inteligentes, ainda que disfarcem essa capacidade por verbalizarem muito. Lá diz o ditado, "não contes tudo o que sabes"...e Lady Astor sabia aplicá-lo na perfeição.



2 comments:

Ana Andrade said...

Lá está só falam do que realmente querem e interessa os outros saberem...embora não se aplique a uma significativa "minoria"....

Imperatriz Sissi said...

Adoro a inteligência tradicionalmente feminina.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...